Campos de Morango

Ir em baixo

Campos de Morango

Mensagem por Hipnos em Sex Set 05, 2014 11:48 pm



Campos de Morango


Um grande campo de morango abençoado por Dionísio. Ninfas, sátiros e semideuses colhem seus frutos e cuidam da plantação todos os dias.


Pode-se conseguir dracmas postando no máximo uma vez por dia nos campos. Seu máximo é 200 dracmas.

_________________
Lord Hipnos
avatar
Hipnos
Deuses
Deuses

Mensagens : 78
Data de inscrição : 25/07/2014
Localização : Na sua cama...

Ficha do personagem
Vida:
10000000000/10000000000  (10000000000/10000000000)
Energia:
10000000000/10000000000  (10000000000/10000000000)
Armas:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campos de Morango

Mensagem por Juliet A. Roberts em Sex Out 24, 2014 4:50 pm

Strawberries


Finalmente pude dar graças aos deuses por sair da enfermaria. Não que eu não gostasse do lugar, só não gostava de ser paciente. Meus irmãos tentavam com afinco fazer-me parar com meu vício e foi só parar na enfermaria que eles tinham me tirado meus preciosos doces. A abstinência era terrível, afinal estava a 24 horas sem sentir o doce sabor de um bombom. Quase fiquei louca naquele lugar, tanto que sai dali aos socos com meus irmãos. Meu humor era detestável até para mim e já não aguentava mais as desculpas esfarrapadas deles, afinal havia sido só um galo na cabeça. Agora eu precisava me distrair e manter-me longe de Lucas, já que ele havia sido o alvo de toda minha irritação. Meu irmão devia estar me odiando no momento e eu não sabia como pedir-lhe desculpas, afinal ele só queria meu bem.

Suspirei pele centésima vez naquele dia, isso porque mal havia acordado. Levei as mãos ao bolso e encontrei um caramelo, levei o doce a boca no segundo seguinte. Fechei os olhos apreciando aquele sabor adocicado enquanto andava. Estava tão distraída saboreando meu doce que acabei esbarrando em alguém e consequentemente fui de encontro ao chão, levando a pessoa na qual esbarrei a cair sobre mim. Franzi o cenho e abri os olhos, não era uma boa ideia andar por ai distraída. Deparei-me com curiosos olhos azuis e uma cabeleira castanha. O rapaz se levantou e estendeu a mão para mim, constrangida aceitei a ajuda oferecida.

- Oh, desculpe-me. Estava distraída(o)! – Falamos ao mesmo tempo. Franzi o cenho e arqueei a sobrancelha. O rapaz era alto, na verdade todos eram altos comparados a mim. Ele tinha um bom porte físico, não exagerado e seus olhos eram de um azul atraente.

- Sem problemas, sou Alec. Por acaso é nova?

- Oh, sou Juliet. E sim, sou nova. – respondi-o olhando ao redor, precisava espairecer e segundo alguns campistas os campos de morangos eram um ótimo lugar para tal. – Será que você pode me ajudar? É que estou procurando os campos de morangos!

- Então você estava indo pela direção errada. – comentou ele divertido. – Siga-me.

Enquanto caminhávamos descobri muitas coisas sobre Alec. Ela estava no acampamento há uns três anos, era filho de Deméter e quando eu tinha esbarrado nele ele seguia para os campos de morangos, já que ele cuidava daquela área junto dos filhos de Dionísio, no caso meus irmãos. O rapaz era muito engraçado e um tanto desastrado, em todo nosso percurso ele havia quase caído umas cinco vezes.

- Então, o que posso fazer por aqui? – perguntei assim que chegamos aos campos de morangos. O lugar era lindo e as plantações eram enormes. Havia fileiras e mais fileiras de morangos e o doce aroma daquela fruta vermelha invadia minhas narinas. Via várias pessoas por ali, sátiros usavam seus cânticos e filhos de Dionísio e Deméter se punham a usar seus poderes, tudo para que os morangos ficassem perfeitos.  Levei as mãos aos bolsos e puxei um pirulito, levando-o a boca enquanto ouvia as claras instruções de Alec.

(...)

Alec havia deixado um sátiro para me auxiliar, no momento nós estávamos plantando morangos na nova área. Antes não passava de um terreno que havia sido preparado no dia anterior para receber as novas mudas. Epaminondas, o sátiro que me acompanhava, tocava uma música em sua flauta de madeira em frente ao último buraco daquele lugar. Era uma canção simples e mágica que fazia com que os insetos saíssem do lugar, deixando livre para a muda.


- Vamos, pode plantar. A terra está limpa! - ele respirou bem fundo, parecia cansado. E não era de se esperar, havíamos plantado muitas mudas. Com a muda já em mãos, eu me abaixei e a coloquei certinho no buraco que tinha feito. Ajeitei a terra para que cobrisse suas raízes e me levantei sorridente e animada. Era incrível o que um pouquinho de sol fazia comigo, literalmente toda minha preguiça ia embora.  

- E agora, o que fazemos? – murmurei limpando o suor que escorria por minha testa e amarrando meus cabelos em um rabo de cavalo.

- Chamamos uns filhos de Deméter para adiantar o trabalho e fazer as mudas crescerem um pouquinho. – explicou ele enquanto chamava por dois filhos de Deméter, afinal havíamos plantado muitas mudas. Os rapazes fizeram seu trabalho, havia sido impressionante ver o quão avançado ia o crescimento das mudas que quase chegaram a dar morangos.

- Que tal colhermos morangos? – perguntou-me Epaminondas. Respondi com um movimento afirmativo de cabeça, apesar de sempre apresentar desinteresse à tudo, até que eu estava me divertindo ali. E lá fomos nós para a área cheia de campistas. Epaminondas havia pego duas cestas, uma para mim e outra para ele, e agachou-se ao lado de um pé cheio de morangos. – Sabe colher morangos? – neguei com a cabeça e o sátiro soltou um pesado suspiro. – Coletar esse tipo de fruta é um processo demorado. – começou ele enquanto eu franzia o cenho “O que tinha de diferente quando o assunto é colher morangos?”, perguntei-me mentalmente e Epaminondas veio com a resposta. -Seja delicada. Pegue no pé acima do morango com o polegar e o dedo indicador e puxe com um movimento ligeiramente torcido; deixe o morango rolar suavemente para a palma da mão e repita o processo até ter apanhado 3 ou 4 morangos.

Suspirei e realizei o processo cuidadosamente. Havia sido instruída a tirar com um cuidado ainda maior os morangos maiores e mais vermelhos. Continuei o processo e era extremamente fácil, minhas mãos eram delicadas e recebia elogios. Mas Epaminondas disse para eu parar em certo momento.


- Mas a cesta ainda está pela metade. - eu disse.

- É que como eles são frágeis demais, os que ficam de baixo não suportam muito peso. Tome. - ele me entregou a cesta que segurava. - Vou colocar estes num local seguro e você continua seu trabalho. Já volto. – e ele se foi.  Continuei o que fazia, mas confesso que não me segurei. Tive que comer alguns morangos e logo ao experimentar o primeiro, um doce maravilhosamente suave e explodiu na minha boca e então comecei a comer mais do que colher.

- Desse jeito não vai sobrar nenhum morango. Boquinha nervosa. - ele riu e eu sorri ao encará-lo. Ele tinha voltado com a cesta vazia e então ambos recomeçamos. As horas foram se passando. Nós íamos e voltávamos para colher e depois deixar os morangos no frigorífico. Conversávamos e brincávamos.

O sol estava ficando no pico, logo seria meio dia.

- O trabalho está quase terminado. Só precisamos regá-los. Vou te mostrar como faz. – o sátiro pegou um regador e começou a molhar aquelas plantas, dizendo que não se pode encharcar os morangos e que regá-los também precisa de cuidados. Ele me entregou um regador e fizemos o trabalho. Era meio cansativo, pois tinha que encher o regador e percorrer um longo caminho, a plantação era enorme, mas a companhia de Epaminondas deixou tudo muito mais divertido e no fim, mesmo cansada, eu tinha adorado tudo aquilo.

- Ai, se minha preguiça deixar, volto aqui amanhã. – comentei risonha.

- Bem, volte na próxima semana. Poderemos plantar mais morangos.

- Bem, tá certo. Er... Para onde eu vou agora?

- Não sei, só sei que estou com fome...

Ele disse isso e eu me lembrei que me sentia da mesma forma. Meu estômago estava vazio, a única coisa que tinha nele era a fatia de mamão que tinha comido do café da manhã juntos dos diversos doces que comia a cada segundo. Sorri para ele e puxei-o em direção ao refeitório.

Thanks Thay Vengeance @ Cupcake Graphics


Última edição por Juliet A. Robers em Sex Out 24, 2014 5:24 pm, editado 1 vez(es)

_________________

Juliet A. {Albert}Robers
A smile is a curve that sets everything straight.
thank you, thay.
avatar
Juliet A. Roberts
Prole de Dionísio
Prole de Dionísio

Mensagens : 28
Data de inscrição : 22/10/2014

Ficha do personagem
Vida:
52/105  (52/105)
Energia:
52/105  (52/105)
Armas:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campos de Morango

Mensagem por Ártemis em Sex Out 24, 2014 5:17 pm



~Avaliação

Texto detalhado e envolvente, sem muito "encheção de linguiça" e sem erros aparentes. Sugiro que utilize alguma forma de distinguir as falas, para não torná-las confusas para o leitor, como colocando cores diferentes para cada personagem, sublinha-las, colocar em negrito ou itálico, etc. No entanto, parabéns!
+ 185 dracmas
~Atualizado

_________________
ártemis
Deusa da caça e da vida selvagem
avatar
Ártemis
Olimpianos
Olimpianos

Mensagens : 29
Data de inscrição : 28/09/2014

Ficha do personagem
Vida:
10000000000/10000000000  (10000000000/10000000000)
Energia:
10000000000/10000000000  (10000000000/10000000000)
Armas:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Campos de Morango

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum